Ombro do arremessador

Este nome é dado ao conjunto de alterações comuns em pacientes que praticam esportes de arremesso por longos períodos, como tênis, voleibol, handebol e beisebol.

A queixa mais comum é dor em alguma fase do arremesso, principalmente no momento de rotação máxima. Outros sintomas são “ombro fraco” e “ombro solto”.

A origem dos problemas pode estar em várias estruturas do ombro, tais quais a escápula e a cápsula articular, ou em outras alterações na articulação. Mas é fundamental buscar por outras causas que levam a alterações no gesto esportivo, como problemas no quadril e coluna.

Ao realizar o exame clínico, o médico procura por alterações na amplitude e harmonia  do movimento do ombro, bem como por dor ao simular o movimento de arremesso, além de avaliar diagnósticos diferenciais.

A realização de ultrassonografia do ombro na própria consulta auxilia a descartar lesões nos músculos e tendinites.

A ressonância magnética com contraste (artrorressonância) pode contribuir para o diagnóstico de lesões mais discretas.

O tratamento deve abordar o paciente  de maneira integral, seguindo as seguintes diretrizes:

– Reequilíbrio do alongamento

– Ganho de rotação interna do ombro

– Analgesia

– Reforço da musculatura do ombro

Em casos em que os sintomas persistem, indica-se o tratamento cirúrgico por artroscopia.

No instituto Apex, temos profissionais especializados para o tratamento global do ombro do arremessador.

Marque sua consulta!

 

Deixa sua pergunta!